//

Notícias Vai na Web

Vai na Web ganha duas frentes: Corporate e Social EdTech
Vai na Web ganha duas frentes: Corporate e Social EdTech

O objetivo é colaborar com empresas na requalificação da força de trabalho para os desafios da Indústria 4.0 e, ao mesmo tempo, continuar promovendo educação digital, valores humanos e inclusão no setor tecnológico

Vai na Web programa “Tinder” do voluntariado com estudantes de Stanford
Vai na Web programa “Tinder” do voluntariado com estudantes de Stanford

Match4Action é um aplicativo que promete acelerar o impacto social, conectando voluntários e iniciativas sociais no mundo todo. Iniciativa foi pensada na Califórnia e desenvolvida nas favelas do Rio por estudantes do Vai na Web

Barack Obama: “Talvez, em algum lugar na favela, tenha uma criança capaz de curar o câncer”
Barack Obama: “Talvez, em algum lugar na favela, tenha uma criança capaz de curar o câncer”

Sim, Sr. Obama. Em nossas favelas têm crianças que serão capazes de curar o câncer, de explorar as estrelas e os planetas mais distantes do universo, e também têm jovens incríveis capazes de criar máquinas inteligentes que poderão mudar o mundo

“O programador não deveria ser um profissional solitário”
“O programador não deveria ser um profissional solitário”

Colaboração é a chave para o bom desempenho com os algoritmos, uma mente saudável e carreira próspera, afirma a desenvolvedora front-end Yasmin Miranda. Por Mayhara Nogueira

“Me apaixonei pela programação no primeiro código”
“Me apaixonei pela programação no primeiro código”

De origem humilde, Cícero Matos, pioneiro do Vai na Web, conta que precisou convencer a mãe sobre a profissão que gostaria de seguir. por Mayhara Nogueira

Maria Luciano: de babá a programadora
Maria Luciano: de babá a programadora

Jovem do Complexo do Alemão buscou requalificação para fugir do desemprego e ingressar no mercado da tecnologia Por Mayhara Nogueira

“Vamos levantar a galera para ocupar todos os espaços”
“Vamos levantar a galera para ocupar todos os espaços”

Zaíra Gonçalves acredita que mostrar ao jovem a sua potência e o seu papel no mundo é o primeiro passo para a revolução.